26.6 C
fpolis
- Publicidade -

Base de dados reúne décadas de episódios de violência contra jornalistas no Brasil

Leia também

Foto – Reprodução Internet

Por Tainah Ramos | dez 7, 2022

Programa de Pós-Graduação da USP sistematizou relatórios de agressões desde a década de 80

“Os jornalistas são agredidos por seus acertos e não por seus erros. Isso porque revelam o que alguns por interesse privado não queriam que chegasse à público.” Essa foi a afirmação de Maria José Braga durante o evento de lançamento da base de dados que reúne décadas dos Relatórios de Violência contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa no Brasil elaborados pela Fenaj (Federação Nacional de Jornalistas), organização da qual é secretária de Relações Internacionais e ex-presidente.

Os dados históricos foram automatizados pelo Obcom (Observatório de Comunicação, Liberdade de Expressão e Censura), herdeiro do Arquivo Miroel Silveira – que reuniu mais de 6 mil documentos de censura do Departamento de Diversões Públicas do Estado de São Paulo. Desde 2001, o Obcom pesquisa sobre liberdade de expressão e, ano passado, passou a trabalhar a questão da violência contra jornalistas cruzando as informações dos documentos da Fenaj. A nova ferramenta automatiza os dados de 1982 a 2021. Nela, é possível navegar por ano, estado, gênero e nome do agredido e do agressor.

A iniciativa reuniu, a partir do Programa de Pós-Graduação da Universidade de São Paulo, pesquisadores do grupo COM+ (Comunicação, Mídia e Jornalismo Digital) e do convênio Safety Matters: research and education on the Safety of Journalists, em parceria com a Oslo Metropolitan University (Noruega), University of the Witwatersrand (África do Sul) e a University of Tulsa (EUA). O projeto foi financiado pelo Research Council of Norway (Conselho de Pesquisa da Noruega, em tradução livre). 

Embora sempre tenha existido, nos últimos anos, a violência contra jornalistas ganhou um novo momento com a presidência de Jair Bolsonaro (PL), que se tornou um dos principais agressores, o que Maria José define como uma “institucionalização” de ataques contra profissionais de imprensa. Uma das demandas prioritárias da Fenaj para o próximo governo é que o Estado brasileiro implemente medidas que combatam o problema e garantam a liberdade de imprensa.

Acesse a plataforma aqui, gratuitamente!

Confira o evento de apresentação da ferramenta, com a presença da Presidente Executiva da Fenaj, Samira de Castro; secretária de Relações Internacionais da Fenaj, Maria José Braga; diretor do Lagom Data e membro do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ), Marcelo Soares.

Reprodução / Portal AJOR – Associação de Jornalismo Digital

Link para o portal: https://ajor.org.br/base-de-dados-reune-decadas-de-episodios-de-violencia-contra-jornalistas-no-brasil/?fbclid=PAAaZgVCsqkuxHKZCktcYvwLTyQrL9oIUh5BhTRBEFJdkfKhgGV1h-sqfFYRY

Mais artigos

Últimos artigos